unidades

Teatro

Por que estudar essa disciplina?

Dentro das sete artes existentes, o teatro (ocidental) desde a Grécia antiga apresenta eminentemente uma função pedagógica, mas também proporcionar prazer. Um prazer que educa, conscientiza e diverte.

Aquele que fará parte do corpo discente desta disciplina, trabalhará o autoconhecimento, assim poderá saber quem realmente ele é. A concentração, para que seja capaz de entender o que está fazendo e executar qualquer função que seja, desde a mais simples a mais complexa, de uma forma plausível e seguro de si. A leitura e a imaginação, para que possa enriquecer seu vocabulário, ser mais criativo e cada vez mais ter interesse pelo ato de aprender em suas mais amplas vertentes. A autoconfiança e a desinibição, assim possuirá mais segurança em ficar frente a frente com um grande público para uma apresentação. A escuta e o pensamento crítico, com isso poderá absorver muito mais o que ouve, entender mais e, posteriormente, organizar melhor seus pensamentos, tendo uma opinião mais sólida sobre o assunto abordado. A empatia e trabalho em grupo, para que saiba trabalhar no coletivo, saiba absorver as idéias de todos a sua volta, guiando-as para algo comum entre todos. A percepção espacial e situações, para que a pessoa possa entender qual o seu tempo e onde ela está. A sociabilidade e a espontaneidade, para que saiba se portar de forma segura e carismática em uma apresentação em sala de aula ou em qualquer situação de exposição. Paralelo a isso, usaremos da estética do Teatro Épico de Bertolt Brecht e poemas diversos para desenvolver uma performance cênica, partindo do pressuposto do ator compositor, o qual, sendo direcionado pelo orientador inicialmente, desenvolve sua autonomia no processo de criação dentro do universo teatral.

O teatro, ao representar situações de nossa própria vida - sejam elas engraçadas, trágicas, políticas, sentimentais, etc. - põe o homem a nu, diante de si mesmo e de seu destino. Talvez na instantaneidade e na fugacidade do teatro resida todo o encanto e sua magia: a cada representação, a vida humana é recontada e exaltada. O teatro ensina, o teatro é escola. É uma forma de vida de ficção que ilumina com seus holofotes a vida real, muito além dos palcos e dos camarins.

Quem são os estudantes desse curso e o que se espera deles?

Todos aqueles que sentem ou sabem que a arte é fundamental e equilibra o ser humano. Que sentem que a linguagem cotidiana e cientifica não conseguem falar tudo sobre nós e para nós como à expressão artística. Todo e qualquer ser humano que tem, teve ou quer ter contato com a arte. O aluno de teatro é aquele sente necessidade de usar seu material (corpo/voz) para falar sobre si ou algo, expressar seus sentimentos, seu senso crítico e passar uma mensagem para quem o assiste, usando assim da arte como um veiculo de comunicação.

Ao término do processo, os mesmos em questão saberão a importância do trabalho em grupo, como perder as amarras da timidez, saber se posicionar e colocar seu corpo como um todo presente em cena, adquirir técnicas sobre a voz falada, controlar sua ansiedade, saber os princípios da elaboração de um figurino e composição cênica que dialogue com o personagem e a performance, além de ter um panorama geral sobre o teatro com foco na importância do fazer artístico, também possuindo um norte para elaboração de uma performance artística dentro do universo cênico teatral.

Objetivos globais da disciplina

Entender como se deu o surgimento do teatro, a importância da arte na vida do ser humano, promover o autoconhecimento com foco na busca do equilíbrio interno, melhorar sua relação interpessoal, conscientizar o educando sobre o seu poder de mudança na sociedade a partir da arte, proporcionar entendimento e autonomia sobre processo de construção da persona em cena, conscientizar sobre os cuidados com a voz, dotar-se de técnicas para decorar texto e preparar a voz para cena.

Aprendizados de longo prazo (ALP)

Após concluir essa disciplina, o corpo discente será capaz de:

  • Compreender o surgimento do teatro ocidental e a importância da arte na vida do ser humano.
  • Entender a estética do Teatro Épico de Bertold Brecht.
  • Conhecer técnicas para estudar (decorar) texto e preparar a voz para cena.
  • Construir a persona (corpo, voz, figurino) dentro de uma cena a partir de uma base textual.

Sobre o professor da disciplina

Artista, ator formado pelo CCPAC – Centro de Capacitação Profissional em Artes Cênicas, produtor, diretor, graduado em teatro (licenciatura plena) e pós-graduando em Artes Cênicas pela Universidade Estácio de Sá. Participou de diversos Workshops norteados para o trabalho do ator. Atuou na Cia Orquídea Deitada, desenvolvendo um projeto com parceria do Baculejo da D’ Sá e também na Cia Sifuxipa, apresentando Cabaret Rouge em diversos teatros do Rio de Janeiro, além de ter atuado em outras produções artísticas. Produziu diversos curtas-metragens com diretores como Daniel Ghivelder, Wallace Meirelles e Waldezique Agápio. Já trabalhou com formação de atores na Escola Técnica CCPAC – Centro de Capacitação Profissional em Artes Cênicas e Le Monde . Atualmente trabalha com iniciação teatral na ANA – Academia Nacional de Atores e Teatro na Educação em escolas de ensino regular.

A estrutura da disciplina

AULA 1: INTRODUÇÃO AO TEATRO

Objetivos específicos da aula:

  • Entender a importância da arte na vida do ser humano.
  • Surgimento do teatro (ocidental).
  • Entender como funcionará nosso processo.
  • Como se sistematiza uma cena.
  • Adquirir ferramentas para se construir um personagem.
  • Adquirir ferramentas para estudar e posteriormente decorar um texto.

Atividades da aula:

  • Apresentação de material para que o ator possa dar inicio ao desenvolvimento do seu trabalho em cena.
  • Dinâmica de interação e desinibição.

AULA 2: JOGOS TEATRAIS

Objetivos específicos da aula:

  • Trabalhar ansiedade, relaxamento e preparação corporal.
  • Interação entre o corpo discente.
  • Desinibir.
  • Trabalho em grupo.
  • Desenvolver autoconhecimento.
  • Desenvolver concentração.
  • Desenvolver imaginação.
  • Desenvolver percepção espacial: planos e velocidades.
  • Desenvolver escuta.
  • Desenvolver confiança.

Atividades da aula:

  • Exercícios corporais e jogos teatrais.

AULA 3: Técnica de improviso

  • Objetivos específicos da aula:
  • Desenvolver raciocínio rápido e lógico.
  • Espontaneidade.
  • Criatividade.
  • Desinibição.
  • Interação.

Atividades da aula:

  • Exercícios corporais.
  • Exercícios de improvisação.

AULA 4: O ATOR, A CENA E O CORPO-VOZ – Elaboração estrutural da performance

Objetivos específicos da aula:

  • Preparar a voz para cena.
  • Desenvolver a partitura cênica dentro da performance.
  • Busca do estereótipo do personagem (visual – figurino).

Atividades da aula:

  • Exercícios corporais.
  • Exercícios vocais.
  • Prática cênica – interpretação.

AULA 5: A CENA DENTRO DA PERFORMANCE

Objetivos específicos da aula:

  • Desenvolvimento do processo de criação cênica.
  • Apresentação de proposta do estereótipo do personagem (visual – figurino).

Atividades da aula:

  • Exercícios corporais.
  • Exercícios vocais.
  • Prática cênica – interpretação.

AULA 6: A PERSONA COMEÇA GANHAR VIDA EM CENA

Objetivos específicos da aula:

  • Compreensão sobre o processo panorâmico na criação da persona numa performance cênica.
  • Busca de segurança e autonomia no processo de criação cênica performática.

Atividades da aula:

  • Exercícios corporais.
  • Exercícios vocais.
  • Prática cênica – interpretação.

Referência:

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira, LDB 9394/96. Brasília, 1996.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Vol6. Brasília, 2000.

BRASIL. Referencial Curricular Nacional Para a Educação Infantil: Vol3. Brasília, 1998.

BOAL, Augusto. Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. Civilização Brasileira, Rio de janeiro – RJ. 1977.

MATTOS, Dirceu de. Técnicas Teatrais para a Formação do Ator, Método do Sussurro, Peças do Autor: Francisco Alves, o Rei da Voz, O Amante Consentido, A Reforma. Dirceu de Mattos – 1ª Ed., Rio de Janeiro, 1996-276.

LOPES, Aladyr Santos. Jogos Dramáticos. Fundo de Cultura. Rio de Janeiro. 1973

ROSENFELD, Anatol. A arte do teatro: aulas de Anatol Rosenfeld (1968) / registrado por Neusa Martins. São Paulo: Publifolha, 2009.

SANDOR, Pethö. Técnicas de relaxamento. São Paulo: Vetor, 1982.

SANTOS, Vera Lúcia Bertoni dos; SPRITZER, Mirna. Teatro com jovens e adultos: princípios e praticas. Porto Alegre: Mediação, 2012.

SOARES, VILMABEL. Dinâmicas de grupo e jogos. Petrópolis: Vozes, 2012.

SPOLIN, Viola. O jogo teatral no livro do diretor. São Paulo: Perspectiva, 2013.

SPOLIN,Viola. Improvisação para o Teatro. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1979.

VASCONCELLOS, Luiz Paulo. Dicionário de teatro. São Paulo: L&PM Editores, 1987.

« volta